Ao contrário da temporada de 2020, o Flamengo foi bastante discreto no mercado e contratou apenas o zagueiro Bruno Viana, por empréstimo para a atual temporada. Para Marcos Braz, vice-presidente de futebol do clube, essa mudança ocorreu devido a uma junção de fatores.

PUBLICIDADE

“Não é só a parte financeira. A gente não teve a pausa tradicional entre dezembro e janeiro. Foi uma temporada diferente. A gente tinha concentração integral na reta final do Campeonato Brasileiro. Não adiantava vir com o Messi de graça, porque a nossa concentração estava nos jogos e no nosso elenco”, disse Marcos Braz, em entrevista ao site “ge”, antes de completar sobre a parte orçamentária e o caminho a ser adotado nas contratações em 2021:

PUBLICIDADE

“A gente sabe das perdas do Flamengo, que foram enormes em função da pandemia. A gente perdeu em 2020 praticamente 90% de bilheteria e um percentual enorme do sócio-torcedor, que dariam uma grande contribuição. Esse ano os números são menores ainda. A gente vai ter que fazer contratações, como por exemplo a do Bruno Viana, que veio por empréstimo e só com o pagamento de salários até o fim do ano. O caminho vai ser aí.”

PUBLICIDADE

Braz ainda mostrou confiança em reforçar o elenco e disse que isso irá acontecer na hora certa.

“Eu confio no ‘taco’ da diretoria. A gente tem uma sensibilidade. A gente conhece o mercado bem. Vamos conseguir fazer as contratações que serão importantes para o Flamengo continuar ganhando esse ano. Independente de um VP ou outro achar que tem que apertar aqui e ali. Na hora certa, as contratações vão acontecer”, completou o vice de futebol.