Muito contestado pela torcida rubro-negra e parte da imprensa esportiva, o treinador Rogério Ceni comanda o Flamengo nesta terça-feira (20), na estreia da Libertadores de 2021, contra o Vélez Sarsfield, na Argentina. Enquanto o clube busca o Tri do torneio, o treinador, tem a grande possibilidade de igualar Renato Gaúcho como o único brasileiro campeão como jogador e técnico. Vale ressaltar que o treinador também comandou o time na Libertadores de 2020, quando foi eliminado na oitavas de final para o Racing.

PUBLICIDADE

“Bem melhor do que chegar no meio da competição. Eu cheguei seis dias antes do jogo contra o Racing na Argentina, peguei um Flamengo completamente desmontado, alguns jogadores na seleção, outros lesionados. Dois titulares hoje, oito não puderam participar desses jogos. Infelizmente entrei nas oitavas, nos dois jogos tivemos expulsões, levamos para os pênaltis. É sempre melhor começar a competição, até em grupos mais pesados porque você vai ganhando um pouco de cancha. Espero que a gente consiga fazer uma boa primeira fase, levar o Flamengo novamente a uma final de Libertadores”.

PUBLICIDADE

Durante a entrevista, ao podcast da Libertadores, Ceni rasgou elogios ao atacante e destacou a boa relação com o camisa 9, Gabriel Barbosa.

PUBLICIDADE

“Importantíssimo para nós, ele é o artilheiro deste século do Flamengo, gols importantes, em competições importantes. Ele é o cara de movimentação, extrovertido, ele quer jogar toda hora, quer jogar todos os jogos. Se eu joguei com o time ontem e vou jogar amanhã ele quer jogar. Ele é de fácil convívio todos os dias, um cara bom, alegre, nunca vi o Gabriel chegar de cara feia, sempre de bem com a vida, sempre de cara boa. Uma geração diferente da minha e a gente vem se dando muito bem”.